Azul

Quando fui para Valência, e desde a primeira casa onde vivi, passava sempre, no caminho para o trabalho, pelo estúdio do arquiteto Ramón Esteve:

A01_Vivienda_Estudio©Estudio_2010

E com esta introdução eu queria apresentar o seu mais recente projeto: Casa Sardinera, na costa de Alicante, Comunidade Valenciana…acontece que apaguei daqui todo o tédio do texto explicativo de uma obra. Não é que eu, como arquiteta, não me interesse pela memória desta casa, aliás, estudei-a em várias fontes para poder fazer aqui uma descrição com um mínimo de rigor.

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-5-Copiar

Mas apaguei todo esse texto porque este é o meu blog, o blog do Design mas também dos Desvarios. E eu adoro design, arquitetura…adoro criar! Aquilo que sempre me moveu, e por isso sempre quis ser arquiteta desde que me lembro, é o poder contribuir para que as pessoas possam viver rodeadas de objetos e espaços bonitos! E funcionais, mas principalmente bonitos!

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-9-Copiar

Mas quando notei que este post estava a demorar tanto para ficar pronto (estava forçado), é que percebi: quando decidi, no imediato de conhecer este projeto, que este teria de vir para o meu blog, não foi pela arquitetura, pelo arquiteto, pelos materiais, pelos tons pastel…eu percebi que, inconscientemente, queria trazer este projeto para o meu blog porque está em Valência! Porque tem o azul de Valência. E porque eu sinto falta de Valência!

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-8-Copiar

Quando lá estava, sempre dizia que tinha saudades de ver o pôr do sol no mar, e do cheiro a maresia. O mediterrâneo não tem cheiro.

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-13-Copiar

Aqui sinto falta do azul sem fim, do azul cristalino, do sol que parece que nunca se vai.

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-14-Copiar

E por outro lado, agora que estou em casa penso: que sorte tive! Que bom que pude voar, arriscar-me noutro país, noutra cultura, noutro idioma…E que bom que pude ir viver para a Geórgia também, ainda que por alguns meses. Que bom que, mais do que viajar em modo turista, tive a oportunidade de viver com eles e como eles. Nos dois locais. Fazer pela vida, trabalhar, arranjar casa, sair, passear, viajar, conhecer pessoas, voltar a estudar, voltar a trabalhar, conhecer mais pessoas…dançar…dancei tanto!

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-12-Copiar

Que bom que pude viver sempre tão intensamente!

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-17-Copiar

Estes são os tons da minha Valência! E é pelos tons azuis que esta magnífica casa ilustra este post. São o meu melhor meio de comunicação neste momento.

Casa-Sardinera-de-Ramon-Esteve-21-Copiar

Creio que o truque é não ver esta fase como um tempo isolado, mas continuar o percurso pelos lados de cá, e pintar Barcelos (ou Matosinhos ou onde for) de azul também.

g1

P.S.: Este post não contém referências futebolísticas…apesar de esta ser uma cor liiiiinda 😉

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s