Lifestyle, Chiado, By the Wine e JMF

Quando terminei a minha Licenciatura em Arquitetura, já em 2006 (tanto tempo), decidi que, uma vez que aquelas seriam as minhas últimas “férias grandes”, as iria viver em grande. Vai daí que fartei-me de viajar! Eu sei que nem tem muito a ver comigo esta ideia de andar sempre a “arejar a pevide” (not), mas aquele ano, realmente foi assim.

E nessas férias, entre uma espera, qual stalker, ao arquiteto Souto de Moura para lhe entregar o meu portefolio em mãos (uma vez que a sua secretária não o quis), para o convencer de que eu seria a estagiária perfeita – tentei, pelo menos -, o aniversário de 99 anos da minha linda avó e A viagem a Valência, na qual decidi que a minha vida mudava radicalmente ali, fiz uma viagem com amigos a Setúbal.

A ideia era aproveitar toda e qualquer radiação solar durante esse tempo, e desfrutar da vida noturna também, claro. No entanto, houve um dia em cujo calor era tão desesperadamente insuportável que nós, saltando de sombra em sombra, resolvemos procurar abrigo na adega que nos surgiu no caminho. Essa adega era nada menos que a José Maria da Fonseca, produtora do famoso vinho Periquita. Não sei se foi pela sensação de paraíso, daquela frescura das caves depois do sol intenso (se foi por sol a mais na cabeça), se foi pela companhia super agradável de bons amigos, ou pela receção atenciosa da nossa guia, o que é certo é que desde esse dia o Periquita ficou-me no coração. E no paladar. E talvez por isso tenha sentido uma certa alegria pelo recém inaugurado bar-loja By The Wine José Maria da Fonsecano Chiado. Até porque no teto estão nada menos do que 3267 garrafas Bordalesa, nas quais o Periquita é engarrafado. Consta que estão vazias…é pena!

514357

…vazias, mas não todas…

514364

…para além da particularidade das garrafas, este balcão chama a atenção para um aspeto que se vem verificando tanto a nível nacional como internacional: o regresso das refeições ao balcão!

514362

514361

514358

Os tons do interior variam entre o negro e os tons terra: ocres, castanhos, verdes, com apontamentos de vermelho. Um interior quente e acolhedor que, desde a cidade de Lisboa, transporta para um imaginário rural, de vinhas, adegas e tonéis. 
514356

02

06

20

19

16

08

Resta-me desejar uma boa (e alcóolica – mas com moderação) semana!

Créditos das imagens 1

Créditos das imagens 2

Créditos das imagens 3

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s